Saúde e Redes Sociais – um casamento estranho, mas perfeito!
Line Østergaard
Author: Line Østergaard
On março 20, 2019

A Indústria da Saúde ainda é historicamente e em muitos níveis, conhecida como rígida e ‘à moda antiga’, repleta de regulamentos que tornam o trabalho de um publicitário quase impossível na hora de criar uma campanha social realmente efetiva que utilize todo o mecanismo e beleza dos canais sociais.

Atingindo o equillíbrio
Sabe-se que quando se trata de conteúdo em mídias sociais, o que mais se destaca é o que é pessoal e de fácil associação ao público. Quanto mais corporativo for, menos pessoas conectam com o conteúdo. Afinal, as marcas estão o tempo todo competindo com amigos, crushes, marcas favoritas, família, entre outras conexões. Para que as marcas de saúde sejam as mais importantes, é preciso atentar-se à lista de conteúdo – as marcas devem ”traduzir” seu conteúdo para a linguagem das redes sociais. Não é apenas uma simples tradução – as marcas devem captar a essência do conteúdo e então, criar conteúdo que funcione para as redes.

Levando a diversão a sério
A maioria de nós lembra como as organizações corporativas usaram simulações de crise para aprender a lidar com potenciais crises. Nos dias de hoje, é normal usar ferramentas baseadas em jogos para envolvimento e treinamento quando se trabalha com gerenciamento de mudanças, desenvolvimento de liderança e aprendizado. O mesmo desenvolvimento vem acontecendo na área de saúde, usando mídias sociais para envolver médicos e pacientes de uma forma mais divertida e ainda assim, séria.

Aqui estão alguns exemplos de campanhas que levaram a sério ser divertidos:

  • Campanha: Concurso do Bigode no Facebook: Este concurso, organizado pelo Centro Médico de Anne Arundel, pediu aos participantes que postassem seu melhor ”bigode” — uma selfie com seu bigode, fake ou real. O propósito era aumentar a conscientização sobre a saúde do homem durante o mês de Novembro (ou, ”Movember” ou ”Novembro sem barbear”, como ficou conhecido). O concurso não só tirou vantagem do lado engraçado das redes sociais mas também atraiu tráfego para do site do centro médico para Men’s Health – que possui outros atrativos para a conscientização, como blogposts, podcasts e calendário de eventos.  
  • Campanha: Doralgina: A campanha da Doralgina começou em 2014, quando a marca decidiu estabelecer sua presença com campanha digital através do Youtube. O primeiro vídeo feito e compartilhado foi uma paródia da música “Cada um no seu quadrado”, mostrando quais são as dores de cabeça da modernidade, todas associadas com o digital; como por exemplo, uma foto errada compartilhada no grupo da família ou “zoar” o chefe com email em cópia para ele. O resultado da campanha foi um sucesso, mais de 1 milhão de visualizações em uma semana no Youtube, um dos vídeos mais vistos em dezembro de 2014, de acordo com o Youtube leader board, ganhando destaque entre grandes marcas. Além de ser notícia em diferentes sites, como Exame e Propmark, entre outros.O sucesso está relacionado ao fato de que ao se inspirar em uma música já viral, e usar o humor ao fazer isso, as pessoas se identificam e, assim compartilham bastante esse conteúdo.
  • Campanha: We Dare You: A premiada campanha ”Nós desafiamos você” da United Healthcare destaca-se como padrão para o que pode acontecer quando as organizações de saúde se envolvem com seus seguidores. Com “desafios” mensais, quizzes e prêmios em seu site, a United Healthcare incentivou os seguidores a fazer uma pequena alteração saudável por mês e documentá-la nas mídias sociais. Esta campanha interativa não apenas levou a hábitos mais saudáveis, mas também fomentou uma comunidade online interativa de seguidores da marca.

Dilema entre seriedade e diversão
Saúde é coisa séria – não é sobre ter uma festa divertida na praia ou ter a viagem dos sonhos – saúde é sobre ajudar pacientes e em algumas vezes, salvar vidas. Entao, como tornar isso divertido? Será que é possível? Nós diríamos que SIM. Quando falamos de diversão não é sobre fazer piada e rir das doenças de outras pessoas mas sim olhar em outro ângulo para algo sério. Vamos imaginar fraldas para adultos. Uma maneira de falar sobre o quanto uma fralda contém pode ser um desafio para as pessoas fazerem vídeos de pessoas testando-as com diferentes líquidos. Este é um conteúdo que é divertido e teria potencial para ser compartilhado e também educar MAIS sobre o principal ponto de venda do produto! Esse é o dilema com o qual muitas empresas ainda parecem lutar e a maioria das campanhas ainda tenta pegar conteúdo e publicá-lo – esquecendo de traduzi-lo para a “linguagem social”. No entanto, por a saúde ser importante e a mídia social ser PODEROSA, achamos que essa dupla forma um casal perfeito.

Esperamos que este post tenha inspirado você a pensar duas vezes na próxima vez que trabalhar em uma campanha de mídia social e, se precisar de ajuda para “traduzir” sua mensagem para as redes sociais, ficaremos felizes em ajudá-lo!


Share this article with friends and family!