O que a Inteligência Artificial pode fazer na área da saúde?
Line Østergaard
Author: Line Østergaard
On abril 11, 2019

Você com certeza já ouviu falar sobre Inteligência Artificial (IA), certo? Mas o que IA está fazendo pelo Mercado de Saúde hoje?

Você sabe que quando um paciente procura um médico devido a uma condição prévia, o mesmo faz um diagnóstico baseado nas variáveis clínicas e sociais. A Inteligência Artificial ajuda na consolidação de todos os dados e informações sobre o paciente, sugerindo ações eficazes para a solução do problema apresentado. A tecnologia não vai substituir o fator humano, ele sempre será decisivo mas não podemos fechar os olhos para os benefícios da IA como aliada dos profissionais da saúde. A partir de um consistente banco de dados e informações, IA pode apresentar protocolos que já tenham sido aplicados para alguns pacientes com êxito, para serem adotados em outros pacientes que possuam características sociais e clínicas semelhantes, por exemplo. Seu papel é fundamental no processo de aprimoramento da saúde e bem-estar dos pacientes.

E esse tópico não é futurístico, já é uma realidade no Brasil. Empresas de pólos tecnológicos brasileiros, como o Porto Digital de Pernambuco, criam soluções com o uso de Inteligência Artificial voltada aos problemas de saúde característicos do país, como leishmaniose, esquistossomose e tuberculose, que, além de mais assertivos, são mais baratos que os tradicionais, o que amplia o número de pessoas que podem ser beneficiadas.

E que tal um laboratório nas mãos do médico? A Hilab tornou isso realidade, seus benefícios potenciais são evidentes: tratamentos que podem ser iniciados de imediato, situações graves que podem ser evitadas, além de menos dor, espera e angústia para os pacientes. O Hilab também utiliza Inteligência Artificial na análise dos exames. No futuro, isso permitirá que especialistas consigam emitir mais laudos por minuto e identificar resultados atípicos ou críticos. Ela ainda auxiliará no rastreio e na identificação de doenças.

Todos nós sabemos que é inviável para um hospital dedicar um enfermeiro exclusivamente para cada paciente, sendo assim o Hospital Nove de Julho tem um sistema de câmeras inteligentes que utiliza IA para diminuir o risco de queda de pacientes nos quartos. Baseada em visão computacional, a ferramenta monitora os pacientes por meio de uma câmera que entende situações “de risco”, como grade da cama abaixada, leito vazio, entre outros. Quando um movimento de risco é reconhecido, o sistema emite um alerta à equipe de enfermagem para que o profissional se dirija ao quarto para verificar a situação e até mesmo evitar uma queda.

É claro que a IA ainda precisa ser melhor compreendida uma vez que os dados ajudarão diversos profissionais. Mas juntos, os benefícios refletem na redução de recursos, etapas e custos conferindo diagnósticos mais assertivos, menos carga de trabalho ao profissional com maior valorização da sua experiência, atualização de práticas médicas fortalecidas por dados.

Quer fazer um brainstorming sobre como a IA pode fazer a diferença no seu negócio? Manda um email para nós: mail@mandorla.co

Share this article with friends and family!